segunda-feira, 18 de agosto de 2008

A Conta-Gotas

Neste período estival, que tanto inspira umas horas bem passadas na piscina, é oportuno atentar num estudo da Universidade Católica de Lovaina (Bélgica) sobre a utilização de cloro nas piscinas e a sua correlação com o surgimento de patologia pulmonar em bébés e crianças com predisposição genética para atopias.
O cloro é um desinfectante muito eficaz da água, mas, quando em excesso, pode ser nocivo para a saúde e promover asma e outros danos pulmonares. Os efeitos deletérios do cloro são mais expressivos e graves em crianças com idade inferior a três anos, uma vez que até esta idade os pulmões se encontram em plena fase de desenvolvimento e, como tal, são mais vulneráveis a um elemento tão irritante como o cloro.



Sophia

2 comentários:

PerleKes disse...

Bem..secalhar estes anos todos de natação foi o que me lixou os pulmoes :p

Sophia Pena disse...

Quem sabe!? :P
Já tinhas à partida a genética a dar-te cabo dos pulmões, juntando-lhe os anos de natação, quem sabe!?