quinta-feira, 1 de maio de 2008

Horas

“Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.
Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.”


(Eugénio de Andrade)


Sophia

2 comentários:

knotkid disse...

Este senhor é um mestre!!

Sophia Pena disse...

Sim, é-o, à sua maneira, muito própria, é-o. Pena é que a maioria das pessoas desconheça sequer a sua existência.